O ciclo do slow fashion e a nossa logística reversa

Em um dos primeiros posts aqui do blog  apresentamos para vocês os pilares que compõem a Ada. Hoje gostaríamos de conversar um pouco mais a fundo sobre alguns deles!

SLOW FASHION

O slow fashion é um movimento que abrange a ideia de respeito a todas etapas (e pessoas envolvidas em cada uma delas) da cadeia produtiva. Mas para entender melhor o que compõe essa lógica de produção precisamos falar do fast fashion, movimento de produção em massa que trouxe força e visibilidade ao slow fashion.

Como funciona o fast fashion e algumas de suas consequências:

  • Matéria prima de baixa qualidade;
  • Produção em grande escala;
  • Condições desumanas no ambiente de trabalho;
  • Exploração demasiada dos recursos naturais.

Um dos principais fatores que tornam os produtos ofertados pelas empresas de fast fashion baratos é a produção em grande escala, juntamente com a má remuneração dos trabalhadores envolvidos nas etapas de produção. São incontáveis (e chocantes) os casos de gigantes da indústria que utilizam trabalho escravo ou submetem seus funcionários a condições degradantes, como rotinas diárias de 18 horas trabalhadas e salários indignos.

Para manter o custo baixo, uma das estratégias é usar tecidos e aviamentos de má qualidade e com procedência duvidosa (mais pessoas exploradas, dessa vez na extração das fibras que compõem os tecidos). Um dos documentários que indicamos, daqueles que deve ser visto no mínimo uma vez é o The True Cost:

Trailer oficial do documentário The True Cost

Alguém adivinha o impacto de tudo isso?

  • Desejo de consumo exacerbado;
  • Produção de lixo desenfreada;
  • 5x mais emissão de gás carbônico;
  • 40% dos microplásticos a mais poluindo rios e mares;

Esses são apenas alguns pontos, entre muitos outros fatores. Precisamos nos questionar: se a peça é barata, quem está pagando a diferença? Se não forem pessoas sendo exploradas, será o planeta que já não suportará a quantidade de lixo produzida devido à quantidade de produtos agora descartáveis. Lembrando que descartável não é igual à reciclável, longe disso. Precisamos entender que o conceito de “jogar fora” é ilusório, tudo que consumimos continua no planeta. O slow fashion vem com o desejo de construir uma moda mais justa e consciente, repensando os hábitos de consumo de cada um.

VEGANISMO

A exploração da indústria da moda também atinge e explora os animais, com a utilização de couro, lã e seda. Além da exploração para gerar matéria prima, a indústria da moda afeta diretamente a vida dos animais através do cultivo de fibras têxteis.

Mas qual a diferença entre o algodão comum e o orgânico? A produção de algodão orgânico é 46% menos instigante ao aquecimento global do que a de algodão convencional, justamente por não utilizarem venenos que poluem o meio ambiente. A cultura convencional utiliza um grande insumo de água, emissão de gases, acidificação, eutrofização e demanda de energia primária. E toda a poluição gerada pela cadeia agrícola convencional, atua diretamente no solo, água e ar do nosso planeta. E isso afeta os animais e também os humanos. A Ada prioriza a utilização de tecidos de origem orgânica, como o algodão, o linho e o bambu.

FEMINISMO

A indústria da moda lucra historicamente em cima da fragilidade feminina, fazendo crer que precisamos consumir o que está “em alta” para sermos aceitas. Ou que pessoas com determinada silhueta devem consumir somente moda X ou Y para estarem bem vestidas ou se sentirem bonitas. Aqui na Ada acreditamos que a roupa serve como forma de manifestação, e por isso desenvolvemos peças com um design atemporal, fazendo com que a roupa seja a sua tela em branco onde você pode expressar o seu próprio estilo.

Na nossa marca o feminismo começa no nosso nome! Ada é uma homenagem a Ada Lovelace, mulher e criadora do primeiro algoritmo a ser executado por uma máquina. Ela foi uma das pioneiras no campo da ciência da computação, mas infelizmente poucos conhecem ou sabem da sua história. Para conhecer um pouco sobre Ada Lovelace, clique aqui.

Cada uma de nossas peças carrega o nome de uma mulher importante para a luta feminista, trazendo visibilidade a grandes lutas que receberam pouca atenção através da história, as quais acreditamos que podem inspirar quem as lê. Também empregamos diretamente apenas mulheres. Acreditamos na libertação das amarras das tendências da moda e acreditamos que pequenas ações podem desencadear grandes movimentos.

FECHE O CICLO

Com os nossos pilares apresentados, entendemos que todas as coisas estão interligadas e com isso convidamos você a nos ajudar a fechar o ciclo dos produtos da Ada. Mas como isso é possível?

O processo é bem simples! Você nos envia a sua peça de volta via correios ou nos entrega em nosso ateliê e nós nos responsabilizamos a:

  • Analisar o uso da peça e entender se pode ser reformada e/ou destinada a doação para ONGs parceiras;
  • Caso isso não seja possível, nos responsabilizamos a descartar de forma correta os materiais utilizados em cada peça.

Mas o que você ganha com isso? Ao pensar e se importar em como será descartada a sua peça de roupa, você ajuda na sustentabilidade do planeta! Em segundo lugar, nós enviaremos um mimo em forma de agradecimento e um cupom de desconto para utilizar no nosso site. ❤

Para qualquer dúvida, entre em contato pelo e-mail comercial@conceitoada.com.

Confere aqui o episódio do nosso podcast sobre relação com o consumo!

Nos vemos também nas redes sociais no @conceitoada e no nosso Podcast Fala, Ada!

Até o próximo post!


Esse post foi escrito por:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s